Topo Ir para conteúdo

Site Autárquico de Beja

 Dia 27 

14h30-17h30


Casa do Salvador, sede Associação SIM

E ti de quen vén sendo (Y tu de quien eres): obradoiro de introducción á narración oral
Soledad Fellosa (UY -  Em galego)

A narração oral conta histórias ao mundo, do nosso mundo interior, ficcional ou real. Vamos tentar encontrar ferramentas que nos permitam contar acontecimentos da nossa infância, de viagens, de casamentos, de festas... De tal forma, que a fantasia se misture com o que aconteceu para transformá-la num facto artístico.
Cada participante deve trazer de casa um objeto ou fotografia que, de alguma forma, sente que representa a família, o seu povo, a sua "casa". Podem ser objetos atuais ou antigos. Utilizaremos os mesmos como gatilhos de memória, da que temos consciência ou daquela que inconscientemente vive em nós.

 

Casa do Salvador, sede Associação SIM
A poesia é um corpo que fala: mandalas poéticas para conhecer o ser
Sandra Guerreiro Dias (PT)

As mandalas, como todos os labirintos geométricos, são exercícios poéticos que nos situam no mundo. Ao longo da história da poesia, foram vários os artistas cultores destas formas que entretecem um diálogo criativo entre a palavra, o corpo e a matéria, sempre poliédrica. Foram explorados com o intuito de devolver ao ser humano a orientação do seu ser.
Nesta oficina, abordaremos inúmeras destas técnicas criativas da perspetiva de um labor poético que permite, não só, experimentar a linguagem, conhecer a sua expressividade, como a nós próprios enquanto inventores de uma voz polissémica silenciosa mas dizível.

 

Casa do Salvador, sede Associação SIM
Biblioterapia: ler para viver melhor
Sandra Barão Nobre (PT)

O bem-estar do ser humano insere-se numa perspetiva holística, em que a saúde não é apenas a ausência de doença, mas sim bem-estar físico, social, mental e espiritual. Para alcançar este bem-estar global cooperam várias áreas do conhecimento e a Biblioterapia, intrinsecamente ligada ao hábito regular de ler, tem vindo a evidenciar potencialidades para colaborar no desenvolvimento e no equilíbrio do ser humano. Com a oficina “Biblioterapia: ler para viver melhor” vamos ver como. E o “simples” ato de ler nunca mais será a mesma coisa.

 

Seminário Diocesano de Beja
À boca do berço
Bru Junça (PT)

À Boca do Berço existe uma biblioteca. Imensa. De viva-voz. É no colo de quem nos traz ao mundo que encontramos os primeiros textos que alimentam a relação. É por esse vasto património da tradição oral que, vive pela boca e mora na memória, se aprende a nomear. Aquilo que nos rodeia e a nós próprios. Os primeiros textos imprimem a cultura de onde nasce e criam um vínculo afetivo à palavra, pela voz de quem nos conta.
Saber desta biblioteca é saber da raiz. Lê-la é mantê-la viva, para além de nós.

 

Seminário Diocesano de Beja
Aprendendo a contar histórias - uma vivência com os contos tradicionais
Priscila Camargo (BR)

Esta oficina é indicada para professores, estudantes, atores, contadores de histórias, animadores culturais, profissionais liberais, psicólogos, terapeutas e todas as pessoas interessadas em contar bem uma história e queiram “colocar mais alma em tudo o que fazem!”. É também indicada para todos os profissionais que utilizam a palavra e que necessitam trabalhar as imagens e para todos aqueles interessados em processos de desinibição, em melhoria do trabalho em grupo ou simplesmente tenham interesse pelos valores profundos e pelos “mistérios” da alma humana! 

 

Seminário Diocesano de Beja
7 Histórias à sombra do cajueiro: um olhar educativo, estético e poético sobre as recolhas de histórias orais
Tâmara Bezerra (BR)

A oficina é realizada a partir da partilha de uma experiência de recolha, organização, tratamento e socialização de narrativas orais realizada numa comunidade tradicional do Brasil. Trata-se de um convite para a reflexão sobre a materialização das memórias, ou seja, a produção escrita de textos orais recolhidos em um lugar cheio de histórias, que tem a oralidade como seu principal espaço de comunicação, expressão e vínculo.
Assim, honradamente, favorecermos o compromisso ancestral com o património narrativo, formado por aqueles que permanecem ouvindo e contando. O trabalho é impulsionado pela apresentação de excertos do documentário com o mesmo título, filme produzido durante o processo da pesquisa.

 

Seminário Diocesano de Beja
Bibliodiversidade: um espelho e uma janela
Leitura e mediação através de um caso prático
Andreia Brites (PT) – em colaboração com a Acesso Cultura, Associação Cultural

Esta oficina destina-se a refletir sobre a mediação leitora de um potencial livro bibliodiverso: de onde partimos, quais os nossos objetivos, onde fica a nossa subjetividade? A partir da leitura de um álbum levantam-se questões sobre interpretação, amplia-se a sua leitura com outro álbum e planifica-se, a partir da dinâmica do grupo, a aplicação em sala de aula ou na biblioteca.

 

 

 Dia 28 

10h00-13h00

 

Casa do Salvador, sede Associação SIM
Corte y confección de cuentos
Martha Escudero (MX - em castelhano)

Oficina onde a partir da análise da estrutura e dos motivos da história tradicional se passa para a sua subsequente adaptação e personalização.

 

Casa do Salvador, sede Associação SIM
Seguindo o rasto do lobo: oficina de literatura e escrita criativa
Gisela Cañamero (PT)

Oficina criativa e de transfiguração: de escrita criativa e de plasmação plástica, tecendo pontes com os universos dos participantes.
- Que diabo de texto é este em que comecei em Dickens e já vou nas redondilhas?
António Lobo Antunes, Crónicas
Oficina de leitura e descoberta de algum do universo literário e memorial de Lobo Antunes, expresso nas suas crónicas, onde subjaz um humor permanente:
- Estou há meia hora aqui sentado à espera que venham as palavras para esta crónica e nada.

 

Casa do Salvador, sede Associação SIM
A Mala de Leitura
Maurício Correa Leite (BR)

A Mala de Leitura propõe uma aproximação com o surpreendente mundo dos livros. Apresenta um acervo diversificado que possibilita várias práticas de leituras. A Mala de Leitura promove livros, forma leitores e faz um intercâmbio entre culturas e linguagens.

 

Seminário Diocesano de Beja
Do fio ao novelo: técnicas de preparação de histórias para a oralidade e outras dicas
Patrícia Amaral (PT)

Nesta oficina, os participantes serão convidados a pegar numa história – escrita, ouvida, sonhada – e a prepará-la para a oralidade, através de técnicas de memorização, desconstrução e reconstrução. Serão, igualmente, disponibilizadas técnicas, dicas e sugestões para a prática da narração oral, num ambiente de relaxado de partilha.

 

Seminário Diocesano de Beja
Histórias da mulher que lia
Cristina Taquelim (PT)

Histórias da mulher que lia é a metáfora que escolhi para este encontro em torno de um dos trabalhos que mais gosto de fazer: mediação de leitura com gente maior. Li no desafio que me lançaram, a oportunidade de fazer renovadas perguntas a essa arte de trabalhar a palavra em contextos tantas vezes, com ela, desavindos, certa do seu papel reparador. Uma oportunidade de pensar a função social da leitura em contextos de crise. Tocar o outro pelas palavras, é um enorme desafio e obriga-nos a escolher de entre os textos que habitam a nossa biblioteca interior, aqueles que dialogam com a história, memória e identidade dos sujeitos em presença, com as comunidades em presença.
Um trabalho tecido por muitos fios: textos da oratura e da literatura, relatos do vivido e do escutado - quase sempre lendo e contando. Por vezes cantarolando e sempre escutando.

 

Seminário Diocesano de Beja
Narração oral e inteligência emocional: histórias para acalmar na hora de...
Mariana Machado (PT)

As histórias são uma das estratégias eficazes para identificar emoções. O que é proposto nesta oficina é a exploração desta ferramenta na educação emocional das crianças, tirando o maior partido das histórias não só para explicar e dar a conhecer as diferentes emoções, como também ajudar na implementação de estratégias de regulação emocional e rotinas diárias mais positivas.

 

Seminário Diocesano de Beja
Da leitura da ilustração ao desenho do texto
Sofia Paulino (PT)

Da mancha da palavra. Do nada ao todo. O processo criativo a partir de vários estímulos; O ciclo vicioso da criatividade;
O objeto como ponto de partida para a história ou a história como ponto de partida para o objeto?