Site Autárquico de Beja

O Castelo de Beja localiza-se no extremo NO da cidade. De acordo com as fontes tradicionais, ocupa o primitivo castrum romano. Trata-se de um castelo de cariz medieval, disposto em planta pentagonal, flanqueado por seis torres, incluindo a de Menagem. A construção do castelo e muralha deveu-se a iniciativa régia, quando D.Afonso III atribui o Foral de Beja, que inclui a reconstrução do sistema de fortificação da cidade, compreendendo-se a longevidade do processo de construção. A torre, segundo alguns autores, pode estar associada ao reinado de D. Dinis. O complexo de arquitetura militar inclui, ainda, o pano de muralhas que limita a cidade antiga, que, com pequenas alterações, se conservou até à Guerra da Restauração.

A Torre de Menagem tem cerca de quarenta metros de altura, tratando-se da torre mais alta do território nacional. É considerada pelos investigadores uma das mais belas torres de menagem de Portugal, na qual convergem o caráter bélico e artístico de forma singular. Foi projetada por arquitetos ou mestres dionisianos desconhecidos; contudo, cada vez mais se acredita que foi terminada em pleno reinado de D. João I. De planta quadrangular, é composta por três salas. A primeira sala, ao nível térreo, é iluminada por três frestas estreitas, apresentando abóbada ogival destacando-se na sua decoração composta por bocetes naturalistas e alvéolos de inspiração muçulmana. Na face leste parte a escada helicoidal que dá acesso ao 2º e 3º andar e terraço, num total de 183 degraus.

A segunda sala é a mais bela do castelo, de acordo com a descrição de Túlio Espanca “(…) magnífica é a cobertura octogonal, de ogivas e nervagem polinervada, assente em modilhões com cordão boleado e capitelação esculpida graciosa e pitorescamente com figuras atlantes e anjos, nas mais esforçadas posições. Radiando a estrela axial, de artesões revestidos de estuques trabalhados, dezassete bocetos de folhagem de gótico flamejante, concedem um movimento e particular encantamento a esta obra extraordinária de arquitetura aparente de inícios do séc. XV e do reinado de D. João I, onde se refletem, também, as influências estilísticas e construtivas árabes”.

Na terceira sala, mais simples, destacam-se sobretudo as decorações figurativas antropo-zoomórficas. Destacamos ainda a particularidade das inúmeras siglas de canteiros que participaram na construção ao longo dos séculos XIV/XV. Desta sala acedemos ao eirado, protegido com merlões de ponta de diamante, a partir do qual se pode apreciar um dos mais belos panoramas que Beja pode proporcionar, a planície no seu esplendor.

Na praça de armas encontra-se a Casa do Governador, edifício que sofreu profundas alterações nos finais da década de 30 por ação da DGEMN, no sentido de valorizar e conservar o Castelo de Beja.

Casa do Governador

O edifício localizado no interior do recinto do castelo, denominado de Casa do Governador, resulta de diferentes intervenções realizadas no decorrer de vários séculos. Julga-se que a sua construção primitiva teve origem no séc. XV, por ordem de D. João II foi mandado construir um Paço para receber o Infante D. Afonso na sua lua de mel conforme diz o cronista Rui de Pina. Desta primitiva fase ainda é possível observar os arcos góticos. A partir de 1640, após a restauração da independência, o local foi ocupado pelo exército como cavalariça e caserna, dada a sua nova função sofreu profundas obras de ampliação perdendo o seu cariz de habitação nobre. A terceira fase de intervenção foi na década de 30 do século XX por iniciativa da DGEMN integrado no contexto de obras de recuperação, conservação e valorização do Castelo de Beja. O Edifício atual resulta desta última intervenção, na qual foram integradas os diferentes balcões provenientes dos edifícios demolidos em Beja. O balcão de recanto, geminado, em mármore e granito, veio da velha Casa dos Corvos, situada ao lado da Igreja de Santa Maria e que, segundo a tradição, fora paço dos bispos visigodos e, depois dos governadores muçulmanos de Beja. Atualmente a Casa do Governador é ocupada no piso térreo pelo principal Posto de Turismo da Cidade, cafetaria e WC, o segundo andar trata-se de um grande espaço museal preparado para receber exposições temporárias.

O principal Posto de Turismo da cidade localiza-se no R/C.

 

CONTACTOS
Largo Dr. Lima Faleiro
284 311 913
turismo@cm-beja.pt

 

HORÁRIO
09h30-12h30 | 14h00-18h00

Torre
novembro a março: 09h30-12h00 | 14h00-16h30
abril a outubro: 09h30-12h00 | 14h00-17h30

Aberto o ano inteiro, exceto nos feriados 01/01, 01/05, 25/12